Empresas distinguidas com o Prémio PME Inovação COTEC-BPI

O Prémio PME Inovação COTEC-BPI distingue anualmente uma PME que se tenha destacado no panorama nacional pela sua atitude e actividade inovadoras. 

Conheça as empresas que foram distinguidas com o Prémio PME Inovação COTEC-BPI ao longo dos últimos anos.

Vencedor 2019: Inovafil Fiação, SA
Criada em 2011, a empresa tem um conjunto de accionistas com fortes interesses na área têxtil, que aportam conhecimento e facilitam, com a sua experiência, a entrada no mercado em que se posiciona. Com instalações em Guimarães e Vila Nova de Famalicão, a INOVAFIL é uma empresa têxtil vocacionada para a produção de fios altamente diferenciadores, tanto para o mercado de moda como para o mercado dos têxteis técnicos. A aposta estratégica na flexibilidade e qualidade total conduziu a INOVAFIL ao controlo dos processos de produção através de um laboratório interno que funciona 24/24h e a uma reconfiguração da mão-de-obra para uma produção ao lote, por encomenda.
A empresa criou um departamento de inovação para a criação de fios especiais, dirigidos a novas aplicações em áreas como saúde, militar ou desporto, e possui fortes ligações com o meio académico, em particular a Universidade do Minho e o Laboratório Ibérico de Nanotecnologia. A produção de “fios inteligentes” – fios têxteis funcionais, técnicos e de performance – envolve também esforços na produção de fios reciclados e ecológicos, bem como actividades de I&D em fibras celulósicas e análises genéticas para o sourcing responsável de algodão.
Com uma capacidade produtiva de 160 toneladas de fio mensais, exporta para mais de 20 países, com destaque para França, Espanha e Estados Unidos da América. A empresa registou em 2018 um volume de negócio próximo dos 22 milhões de euros, 41% dos quais resultantes de exportação.

Cotec_8º Encontro PME Inovação

Vencedor 2018: JPM – Automação e Equipamentos Industriais, SA
A JPM foi fundada em 1994, em Vale de Cambra, por José Paulo Martins da Silva, prestando inicialmente serviços de electricidade e automação para a indústria.
Em 2009, a JPM teve um marco importante que moldaria o futuro da sua proposta de valor para o mercado, a criação do Grupo JPM. Esta fundação teve uma importante missão e objectivo, a profissionalização da gestão da empresa, a expansão e verticalização das áreas de conhecimento em empresas individuais. Este grupo passaria a integrar a JPM Renováveis – com a missão de oferecer soluções de energia sustentável e renovável para indústrias – e, mais tarde, a Jointsteel (joint venture com a empresa belga Timmerman EHS), com a missão de fabricar equipamentos e soluções de processo em aço inoxidável.
A partir do seu knowhow assente em transportadoras industriais, automação e paletização, hoje a JPM é um player mundial no mercado de intralogística, uma fábrica de fábricas. Com mais de 500km de transportadoras instaladas, mais de 2.000 instalações feitas a nível mundial, a JPM está presente em mais de 40 geografias.
A empresa registou em 2017 um volume de negócio próximo dos 12 milhões de euros, 40% dos quais resultantes de exportação.

Vencedor 2017: Introsys – Integration for Robotic Systems, Integração de Sistemas Robóticos, SA
Actuando no mercado internacional desde 2004, a INTROSYS tornou-se numa referência na área dos sistemas de controlo robotizados, sendo responsável pelo desenho de software para robots e braços armados industriais, com especial incidência na Indústria Automóvel e Aeronáutica. Actualmente, para além dos produtos que desenvolve, quer na área da robótica móvel, quer na área de automação, a empresa também já oferece formação para a indústria automóvel, estando presente em países como a Índia, a Alemanha, a Holanda, o México, a Rússia, entre outros.
A empresa registou em 2016 um volume de negócio próximo dos 17 milhões de euros, 84% dos quais resultantes de exportação. A empresa possui ainda uma unidade no México responsável por um volume de negócios próximo dos 3 milhões de euros.

Vencedor ex-aequo 2016 : ERT Têxtil Portugal, SA
A ERT Têxtil Portugal, SA está implantada em São João da Madeira, onde desenvolve a sua actividade desde 1992, dedicando-se ao fabrico de têxteis técnicos. No final dos anos 90 a empresa aproveitou as oportunidades então criadas para o desenvolvimento da indústria automóvel em Portugal e em 2000 começou a fornecer este sector. A administração foi modernizando a empresa, fazendo com que ela crescesse e se especializasse e actualmente os seus produtos são aplicados, sobretudo, no sector automóvel (85%) – onde é líder no mercado nacional – em produtos de moda e de desporto (10%) e em componentes para barcos e comboios (5%).
Em 2006 a ERT iniciou o seu processo de internacionalização, para o qual estabeleceu uma joint-venture de capital nacional com a Coindu, dando origem à constituição da ERT Group Automotive. Este processo permitiu alargar operações na Europa de Leste, mais próximo dos clientes, mantendo a centralização das funções de gestão em Portugal. Em 2013 a ERT tornou-se accionista da Plus Felt S.L., empresa espanhola especialista na produção e comercialização de isolamentos acústicos para veículos automóveis e adquiriu também a totalidade do capital da empresa Reiner Interieur S.R.O., na República Checa, constituindo a ERT Automotive Bohemia. Em 2014 a ERT lançou um Centro de Inovação Criativa que define as linhas estratégicas de investigação, desenvolvimento e inovação. A partir deste Centro desenvolvem-se projectos tão distintos como os de incorporação de sistemas de iluminação e de sistemas inovadores de aquecimento, em têxteis e materiais flexíveis, mas também se trabalha no desenvolvimento de projectos interfaces homem-máquina para assistência à condução. A ERT Têxtil Portugal, SA está hoje representada em oito países europeus e realizou só em Portugal mais de 35 milhões de euros em volume de negócios, em 2015.

Vencedor ex-aequo 2016: i2S – Informática, Sistemas e Serviços, SA
A i2S dedica-se em exclusivo ao desenvolvimento de software e à prestação de serviços de suporte para a actividade seguradora. Fundada em 1984 e contando actualmente com aproximadamente 250 colaboradores e um volume de negócios na ordem dos 15 milhões de euros, a i2S tem a sua sede no Porto e escritórios em Lisboa, Madrid, Luanda, Maputo e S. Paulo. Destas localizações dá suporte a mais de 50 companhias de seguros e sociedades gestoras de fundos de pensões e a mais de 150 mediadores de seguros. Sendo líder de mercado em Portugal e Angola a i2S tem também clientes em Espanha, França, Moçambique, Polónia e Cabo Verde.
De forma a suportar a sua estratégia de crescimento a i2S firmou parcerias estratégicas com tecnológicas (Oracle, Microsoft, IBM), universidades (UMinho, UPorto), integradores (Everis, PWC) entre vários outros. Analistas de referência como a Gartner e a Celent referem a i2S como fornecedor de software líder no quadrante Niche Player relativamente à capacidade de execução da solução GIS no Magic Quadrant for Life Insurance Policy Administration Systems, Europe (Gartner) e que continua a consolidar a sua presença nos países que escolheu como alvo (Celent).

Vencedor ex-aequo 2015: Palbit, SA
A Palbit, SA nasceu em 2004, mas a sua origem remonta a 1916, para assegurar a concessão da exploração das minas de galena do Palhal. Com o tempo, a lavra extinguiu-se e a empresa cessou a actividade mineira. Em 1941, em virtude de ter uma concessão de produção de electricidade, foi adquirida pelo Grupo SAPEC e, em 1952, passa a produzir peças e ferramentas de corte utilizando carboneto de tungsténio. Hoje, a Palbit tem 93% do capital em accionistas portugueses e um accionista sueco com 7%, exercendo a sua actividade no desenvolvimento, produção e comercialização de ferramentas industriais de elevada performance executadas em metal duro, materiais ultraduros e aço.
A Palbit, SA actua em três áreas de negócio – ferramentas de corte, anti desgaste e ferramentas para pedreiras e está presente em 5 continentes ultrapassando os 80% de exportações para mais de 50 países diferentes, com predominância do mercado europeu. A produção de ferramentas de corte gera 80% do volume de negócio, atendendo os sectores de actividade Automóvel, Energia, Aeroespacial e Engenharia em Geral.
A Palbit, SA é detentora do capital da empresa comercial PALBIT – Comércio de Ferramentas, Lda. (filial no Brasil) e da empresa comercial PALBIT MX, SA (México).
Em 2014, registou um volume de negócio consolidado de 11,9 milhões de euros.

Vencedor ex-aequo 2015: TEKEVER – Tecnologias da Informação, SA
O Grupo surge em 2001 fundado por engenheiros de informática e computação do Instituto Superior Técnico, desenvolvendo uma plataforma própria que integra tecnologias de mobilidade e de inteligência artificial para a gestão de workflows. As actividades do Grupo estão organizadas em duas grandes áreas – a de Tecnologias de Informação e a Divisão Aeroespacial, de Defesa e Segurança.
A Tekever é responsável pelo desenvolvimento do sistema mobile da EDP, o terceiro maior da Europa, apoiando diariamente mais 5.000 pessoas e integrando os processos de trabalho do backoffice daquela empresa. No segmento de PME, a Tekever desenvolveu a Mobizy, distinguida nos prémios WSA – atribuídos pela ONU – como a melhor app de negócios em 2015.
A Tekever desenvolve os sistemas de controlo e fabrica os aviões não tripulados (drones) que serão utilizados na vigilância marítima dos países da União Europeia no Atlântico Norte e Mediterrâneo, no âmbito de um consórcio criado pela Agência Europeia de Segurança Marítima e pela Agência Espacial Europeia. Recentemente apresentou o projecto Brainflight, fazendo uma demonstração pública inédita de um drone controlado pela mente.
A Tekever está ainda a afirmar-se internacionalmente no sector das comunicações espaciais e na produção de nano e microssatélites.
O principal produto da empresa na área de Espaço chama-se Gamalink, que está na base das participações da empresa em missões da Agência Espacial Europeia. Já no âmbito dos nano e microssatélites, a empresa está a ultimar o primeiro satélite feito integralmente em Portugal. Chama-se GAMASAT em homenagem a Vasco da Gama, o navegador português.
O Grupo é composto por sete empresas, com cerca de 120 colaboradores, exportando cerca de 75% de um volume de negócios próximo dos 20 milhões de euros. A empresa tem ainda subsidiárias no Reino Unido, Estados Unidos, Brasil e China.

Vencedor ex-aequo 2014: Celoplás – Plásticos para a Indústria, SA
Criada em 1989 no distrito de Braga, a Celoplás dedica-se à concepção, desenvolvimento e produção de moldes e componentes de elevada precisão pelo processo de moldação por injecção para as indústrias eléctrica, electrónica, automóvel e, mais recentemente, para o sector da saúde.
Com 150 colaboradores, a Celoplás produz cerca de 150 milhões de componentes por ano, o que a torna líder de mercado em Portugal no seu segmento.
Em 2013, facturou cerca de 23 milhões de euros, sendo que mais de 95% da sua produção se destina directa e indirectamente à exportação para países Europeus, como: Alemanha, Espanha, França, Reino Unido, Hungria, Suécia, Bulgária, bem como outros países, nomeadamente; Brasil, África do Sul, Turquia, Índia ou China.
Empresas como Tyco, Bosch, Yazaki, Daimler, Denso, Leica, Browning, Ideal Standard, Visteon ou Preh utilizam componentes produzidos pela Celoplás. Toda a organização se desenvolve de acordo com os sistemas de Gestão da Qualidade, Ambiente e Inovação segundo as normas ISO 9001, ISO TS 16949, ISO 14001 e NP 4457.
Com fortes ligações ao meio académico, destacando-se as Universidades de Coimbra (IPN), do Porto (DEMEc e INEGI) e do Minho, onde foi fundadora do Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros (PIEP), a Celoplás aposta continuamente em projectos de IDI, nomeadamente no desenvolvimento, concepção e fabrico de componentes à escala micro (ex. micro conectores de fibras ópticas), bem como no desenvolvimento de dispositivos para aplicações médicas, quer como implantes quer como administradores de fármacos, utilizando sempre materiais poliméricos.

Vencedor ex-aequo 2014: Vision-Box® – Soluções de Visão por Computador, SA
Fundada em 2001 por investigadores do INETI, a Vision-Box® é líder na oferta de soluções de controlo automatizado de fronteiras e de gestão de identidade electrónica, tendo implementado mais de 3000 soluções inovadoras em 5 continentes, e somando 90% da quota de mercado da automatização de fronteiras a nível europeu e 30% a nível mundial.
Foram já 150 países cujos governos, autoridades fronteiriças e aeroportos confiaram à Vision Box® a segurança das suas pessoas e bens, nas três principais áreas de actuação:
Soluções de Controlo Automatizado de Fronteiras: a Vision-Box® tem vindo a colaborar com aeroportos, companhias aéreas e autoridades de controlo fronteiriço na melhoria de processos de identificação de pessoas, tornando-os mais rápidos, seguros e eficientes, através da autenticação automatizada dos documentos de identificação e do reconhecimento de cidadãos utilizando a biometria (íris, face e/ou impressões digitais), com vista à promoção da segurança, mas também da experiência das pessoas. A Vision-Box® já instalou mais de 900 soluções em mais de 50 aeroportos internacionais, processando 20 milhões de passageiros por ano.
Soluções de gestão de identidade: A Vision-Box® desenvolveu uma abordagem global para a gestão do ciclo de vida dos documentos de identificação electrónica, que oferece aos Governos o controlo total dos processos de recolha de dados e distribuição de Cartões de Cidadão, Passaportes Electrónicos ou qualquer outro documento pessoal relevante. As 3000 soluções instaladas estão a permitir uma melhor experiência para os cidadãos em todo o mundo, que podem usufruir agora de processos mais rápidos e mais seguros.
Soluções inteligentes de gestão de vídeo digital e gestão de sistemas de segurança: A Vision Box® oferece soluções inteligentes que abrangem a videovigilância inteligente, baseada em identificação biométrica, o controlo de acessos, a identificação de veículos e objectos, entre muitas outras, melhorando os níveis de segurança nos sectores público e privado.
Sedeada em Lisboa, a Vision-Box® encontra-se em franca expansão pelo mundo, tendo presença no Reino Unido, Alemanha, Brasil, EUA, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Hong Kong e Austrália.

Vencedor ex-aequo 2013: Imperial – Produtos Alimentares, SA
A Imperial, integrada no Grupo RAR desde 1973, é o maior fabricante nacional de chocolates e o detentor das principais marcas portuguesas do sector, como Jubileu, Regina, Pintarolas e Pantagruel. Recentemente, a Imperial procedeu à inauguração de uma nova unidade industrial de moldação e embalagem de tabletes e bombons, complementada por uma linha de fabrico de massas de chocolate, com tecnologia de última geração. A empresa aposta numa contínua renovação da sua oferta, em que os novos produtos representam uma quota superior a 20% da sua facturação. A Imperial comercializa as suas marcas em mais de 45 países, distribuídos pelos continentes europeu, africano, americano e asiático, sendo que o volume de negócios para o mercado externo representa mais de 20% do negócio da empresa. A empresa colabora com escolas de referência na área da biotecnologia (Universidades de Aveiro, Minho, Porto e Católica do Porto), com as quais desenvolve novas fórmulas e faz a avaliação nutricional dos ingredientes que utiliza nos seus chocolates.

Vencedor ex-aequo 2013: WIT-Software – Consultoria e Software para a Internet Móvel, SACriada em 2001 como spin-off do IPN – Instituto Pedro Nunes e da Universidade de Coimbra, a WIT-Software desenvolve aplicações e serviços avançados na área das telecomunicações móveis. Fornece os seus produtos aos maiores grupos de operadores móveis da Europa: Vodafone, Telefónica, Deutsche Telekom, Orange-France Telecom, Telia Sonera e a Telecom Italia. Com um crescimento médio de 30% ao ano nos últimos anos, e uma margem média de EBITDA superior a 35%, a empresa tem ainda clientes nos Estados Unidos e em África. A empresa tem mais dois centros de desenvolvimento, no Porto e Leiria, escritórios em Lisboa, e filiais em Reading (Reino Unido) e em San Jose (EUA). Com uma longa relação e fortes ligações ao mundo académico, a WIT-Software mantém projectos de parceria em coordenação com universidades portuguesas – como as Universidades de Aveiro, Coimbra e Lisboa – e entidades internacionais como o Instituto Fraunhofer. Ao longo da última década, a empresa tem canalizado 25% dos seus recursos humanos para actividades de I&D, investimento contínuo que tem sido crucial para a sua estratégia de diferenciação através da inovação.

Vencedor 2012: Bluepharma – Indústria Farmacêutica, SA
Empresa farmacêutica, de capitais portugueses, com sede em Coimbra, que se dedica à investigação e desenvolvimento, fabrico e comercialização de medicamentos, que distribui por todo o mundo, nomeadamente Europa, EUA, África, Médio Oriente e Ásia. Iniciou a sua actividade em Fevereiro de 2001, na sequência da aquisição de uma unidade industrial pertencente à multinacional Bayer. Com várias patentes registadas, a Bluepharma participa frequentemente em projectos de I&D com universidades portuguesas, tendo nos últimos anos promovido o lançamento de empresas que resultam directamente dessa sinergia. Estabelece parcerias com centros de investigação locais e internacionais e com empresas farmacêuticas multinacionais, desenvolvendo a sua actividade em três áreas distintas: 1) produção de medicamentos próprios e para terceiros; 2) investigação, desenvolvimento e registo de medicamentos; e 3) comercialização de medicamentos genéricos (sendo detentora de um portfólio extenso deste tipo de medicamentos). Em 2004, conquistou o Prémio Europeu de Inovação Regional como o Projecto do ano, e em 2009 obteve a certificação da FDA para o desenvolvimento e produção de formas sólidas, tornando-se a primeira farmacêutica portuguesa a poder exportá-las para o mercado norte-americano.

Vencedor 2011: Derovo – Derivado de Ovos, SA
Empresa do sector agro-alimentar criada em 1994 para garantir a sobrevivência e escoamento da produção de 70 avicultores em dificuldades. Partindo de uma condição de subsistência, chega ao prémio de melhor empresa de Ovoprodutos do Mundo em 2002, entre outros galardões arrecadados como os SIAL Innovation Awards. Foi apostando fortemente em I&D e inovação, um dos seus principais eixos estratégicos, que fez rapidamente evoluir a sua oferta de produtos para novas formas de comercialização do ovo, como foi o caso do ovo em spray, o ovo líquido pasteurizado – nas versões ovo inteiro, gema e clara –, o ovo cozido, o Fullprotein (bebida proteica de clara de ovo e fruta), ou o mais recentemente lançado – em Janeiro de 2013 – ‘Egg Ready’, ovo estrelado instantâneo embalado. A par da I&D e inovação, a empresa privilegia as parcerias como motor de desenvolvimento, como é exemplo a parceria de quatro anos que estabeleceu com a Universidade do Minho e a empresa Valinox no âmbito do projecto ‘Egg Ready’. Com escritórios em Portugal e Espanha, a Derovo exporta para vários países, contando-se entre os principais Espanha, França, Reino Unido e Alemanha.

Vencedor 2010: Polisport Plásticos, SA
No mercado desde 1982, a Polisport dedica-se à concepção, desenvolvimento, produção e comercialização de componentes plásticos inovadores para veículos de duas rodas. No sector das bicicletas, os principais produtos da Polisport são os acessórios, como capacetes, guarda-lamas, bidões, protecções e porta-bebés, sendo nestes últimos que se concentra o seu maior volume de vendas, em que é líder europeu. No sector das motos, a empresa produz peças plásticas para primeiro equipamento e também para o “after-market” através de peças de substituição e partes de marca própria, produzindo ainda cadeiras de bebé para automóvel. A Polisport destaca-se pela exportação para o mercado internacional pela qualidade, know-how, experiência e flexibilidade, produzindo componentes plásticos originais para os maiores fabricantes europeus de motos como KTM (Áustria), Husqvarna (Itália), Gas Gas (Espanha), e Suzuki (Espanha), bem como peças de substituição e acessórios para o cliente final. Sempre com o objectivo de criar produtos inovadores, a empresa portuguesa desenvolve acções de cooperação sistemática em inovação com parceiros externos na investigação, desenvolvimento, registo de propriedade e teste/homologação de produtos, tendo também estabelecido cooperações internacionais na comercialização e distribuição dos produtos.

Vencedor 2009: WeDo Techologies
A WeDo Technologies fornece software e consultoria especializada que permite analisar grandes quantidades de dados de uma organização, ajudando a anular ou minimizar as ineficiências operacionais e de negócio, permitindo um retorno significativo do investimento das empresas através da protecção da receita e redução dos custos. Fundada em 2001, a WeDo Technologies é líder mundial em garantia de receita e de negócio, trabalhando com algumas das empresas líderes nos sectores de retalho, energia e financeiro, bem como com as 140 operadoras de telecomunicações de mais de 80 países, através de mais de 470 profissionais altamente qualificados, de mais de 20 nacionalidades. Com escritórios em 12 países de 5 continentes, e uma receita de 55,1 milhões de euros em 2012, a experiência da WeDo foi inicialmente adquirida no mercado global das telecomunicações, mas ao longo dos últimos anos implementou com êxito as suas soluções numa vasta gama de indústrias e mercados em todo o mundo, tais como utilities, saúde, serviços financeiros, transporte e retalho. O know-how da empresa centra-se no business assurance para redes Telecom, com liderança nas áreas de revenue assurance, roaming, commissions e credit & collections solutions. A empresa oferece as funcionalidades de implementação de todo o ciclo de vida para que os produtos ou soluções de uma organização, novos ou existentes, sejam totalmente integrados num serviço gerido externamente. Os seus produtos têm sido nomeados para prémios de referência mundial, como é o caso dos Billing World Excellence Awards, na categoria de ‘Best New Product’ em 2003, ou dos World Billing System Awards, na categoria de ‘Best Revenue Assurance Project’, nos anos de 2005 e 2006.

Vencedor 2008: Critical Software, SA
A Critical Software desenvolve tecnologias inovadoras e fiáveis para o suporte de sistemas críticos orientados às necessidades específicas dos seus clientes, oferecendo um leque de serviços onde pontificam a integração, o desenvolvimento, a validação e a verificação de software. Estas são soluções desenvolvidas on-time, on-budget e on-quality, reflexo da aposta na qualidade e inovação tecnológica enquanto agentes na introdução de vantagens competitivas nos sistemas de informação e negócio dos clientes. Desde a sua criação em 1998, que a Critical tem conseguido competir à escala global, adaptando-se aos mais exigentes contextos e possibilitando um melhor conhecimento das necessidades de negócio dos seus diferentes clientes. As Forças Armadas Portuguesas e do Reino Unido, a AgustaWestland, a EADS e Thales Alenia Space, as agências espaciais norte-americana, europeia, chinesa e japonesa, a Vodafone, a PT ou Deutsche Telekom, o Grupo Portucel-Soporcel, a Infineon Technologies ou a Qimonda, a EDP ou a Enersis, a CGD, o BES ou o Bank of New York, e o Ministério da Justiça ou da Administração Interna são alguns desses clientes. Seguindo um crescimento contínuo e sustentando ao longo dos anos, a Critical tem cerca de 250 colaboradores altamente qualificados e sede em Coimbra, escritórios em Lisboa e Porto, e conta com subsidiárias em vários países: Alemanha, Angola, Brasil, EUA, Moçambique, Reino Unido e Singapura.

Vencedor ex-aequo 2007: ALERT Life Sciences Computing, SA
Fundada em 1999, a ALERT desenvolve software clínico, dedicando-se à criação de uma solução integrada para a total informatização dos cuidados de saúde em países inteiros, HMO, hospitais e centros de saúde. Aptas para Web e nuvem, as soluções ALERT® constituem variantes de configurações de um único produto, com apenas uma linha de desenvolvimento, caracterizada pela sua capacidade de configuração local em cada mercado. Estas características permitem à ALERT concentrar os seus esforços num produto universal que se encontra em constante mudança, sendo enriquecido por contribuições de todo o mundo. O software ALERT® é actualmente a solução clínica mais internacional existente, tendo já sido implementado em 500 instituições de saúde, de 13 países diferentes, sendo utilizado por mais de 60.000 profissionais de saúde qualificados, no âmbito de projectos nacionais, estaduais, regionais e empresariais, tanto do sector público como do privado. O software está disponível em 6 línguas: inglês, espanhol, português, holandês, italiano e francês, e pode ser utilizado simultaneamente em várias línguas em cada local. Considerada como sendo uma das 21 empresas portuguesas para o século XXI, a ALERT tem como clientes o Ministério da Saúde português, o Hospital Americano de Paris (França), o Hospital La Tour (Suiça), os Hospitais Universitários de Brighton e de Sussex (Reino Unido), a TEC Salud – Hospital San José Tec de Monterrey (México), a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (Brasil), a Universidade Católica do Chile, entre outros. No seu portfólio incluem-se implementações para hospitais “livres de papel” na Europa, EUA, Médio Oriente e América Latina. Exemplo de internacionalização, a empresa tem a sua sede em Portugal e possui filiais no Brasil, México, EUA, Espanha, Reino Unido, França, Holanda e Singapura, parceiros com licenças no México, Guatemala e Kuwait, e distribuidores autorizados no Chile e em Itália.

Vencedor ex-aequo 2007: Frulact – Ingredientes para a Indústria de Lacticínios, SA
A Frulact é o grupo empresarial líder ibérico em preparados à base de fruta para a indústria alimentar, dos lacticínios, da pastelaria Industrial, dos gelados e das bebidas. Há 25 anos que a Frulact abastece multinacionais, como a Nestlé ou a Danone, com iogurtes, e a Unilever com sumos e gelados. A empresa, criada por João Miranda e o pai, Américo Miranda, e a única portuguesa com esta actividade, mantém estreita colaboração com diversas instituições e entidades do Sistema Científico e Tecnológico, potenciando a geração e transmissão de conhecimento, e a diferenciação e competitividade da empresa. Desde o surgimento do projecto em 1987 que a internacionalização e a inovação foram apostas fortes da empresa, que emprega agora cerca de 500 pessoas. Fundada na Maia, a empresa é um caso importante de internacionalização, com o mercado português a valer apenas entre 2,5% e 3% da facturação da empresa, que rondou os 90 milhões de euros no em 2012. Com três fábricas em Portugal e unidades de produção em França, Marrocos, Argélia e África do Sul, a Frulact está também presente em diversos países no Sul da Europa, Norte de África e Médio Oriente, através da exportação. A par da internacionalização, a Frulact continua a aposta na inovação a partir do FRUTECH – Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) instalado na Maia, com cerca de 40 técnicos concentrados no desenvolvimento de produtos diferenciados e que inclui instalações piloto, laboratórios de microbiologia alimentar e de caracterização físico-química e sensorial de fruta e seus derivados. A empresa foi distinguida por inúmeros prémios, exemplo dos recebidos em 2013 enquanto Empresa do Ano, pelo Prémio Excellens Oeconomia (PwC e Jornal de Negócios), ou pelos Nutrition Awards na categoria Investigação e Desenvolvimento, com o projecto ‘FruShape – Fruta em formas’.

Vencedor 2006: PRIMAVERA – Business Software Solutions, SA
A PRIMAVERA BSS é uma empresa de capitais nacionais dedicada ao desenvolvimento e comercialização de soluções de gestão e plataformas para integração de processos empresariais, disponibilizando soluções para todo o tipo de organizações e sectores de actividade como Administração Pública, Comércio, Construção Civil, Indústria, ou Serviços. Desde 1993 que desenvolve soluções de vanguarda que respondam antecipadamente às necessidades futuras das empresas, razão pela qual está inscrita no grupo das 500 maiores empresas europeias com maior potencial de crescimento, um ranking promovido pela Growth Plus. Cerca de 40 mil empresas recorrem diariamente às soluções PRIMAVERA para optimizarem os seus processos de negócio, apostando na digitalização e inovação. Também a internacionalização da PRIMAVERA BSS é entendida como um factor estratégico fundamental para a sua competitividade, diversificação de negócio e excelência futuras. A empresa de software encontra-se presente em Portugal, Espanha, Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Quénia, sendo líder de mercado em vários destes países. Em termos de colaborações estreitas, a parceria tecnológica com a Microsoft tem permitido à PRIMAVERA BSS participar em importantes projectos de experimentação e investigação e promover, em primeira-mão, junto dos seus utilizadores, as mais avançadas soluções tecnológicas. A nível europeu, a PRIMAVERA BSS está também integrada nos programas de experimentação da Tecnologia.NET da Microsoft, parceria que tem permitido à organização apresentar, em primeira-mão, aos seus utilizadores e parceiros, soluções desenhadas e desenvolvidas integralmente para a Web.  

Vencedor 2005: Chipidea Microelectrónica, SA
Empresa tecnológica fundada em 1997 por uma equipa de engenheiros liderada por José Epifâneo da Franca, a Chipidea foi a primeira empresa portuguesa dedicada à concepção de circuitos integrados avançados de sinal misto, em que criou um know-how único. Sediada no TagusPark e com filiais nos Estados Unidos, Bélgica, França, Polónia e Macau, a Chipidea licenciava propriedade intelectual para produtos electrónicos de grande consumo (telecomunicações, wireless, vídeo e áudio), que só entravam no mercado passados 2 a 3 anos. A empresa desenvolvia, assim, a tecnologia analógica que suportava produtos do futuro. Fruto do seu sucesso foi vendida à empresa americana MIPS Technologies, em 2007, por 147 milhões de euros.